ccp

Imprensa

23 de fevereiro de 2015

Shopping D garante autossuficiência com sistema de produção de água potável

Referência em compras e lazer na zona norte de São Paulo, o Shopping D está menos vulnerável a um eventual racionamento de água na região. O motivo é a adoção de um sistema de produção de água potável que capta recursos hídricos por meio de três poços semiartesianos instalados a 300 metros de profundidade.

Implantado em 2011, o sistema produz água suficiente para o consumo do centro de compras. Após receber tratamento, a água extraída dos poços abastece todo o empreendimento, que ocupa área de 85 mil m², reúne 200 lojas e recebe mensalmente em média 1 milhão de clientes. “Como é extraída em grande profundidade, a água é mineral, de excelente qualidade”, explica o superintendente do Shopping D, Wilson Pelizaro.

Projetado e operado pela General Water, que investiu R$ 3 milhões na obra em parceria com o Shopping, o sistema gera economia financeira mensal de 50% se comparado às tarifas cobradas pela concessionária. “Além da autonomia no abastecimento e da economia financeira, o Shopping D contribui com a sociedade na medida em que deixa de consumir água potável da concessionária, reduzindo pressões sobre os mananciais”, acrescenta Pelizaro.

Juntamente com o sistema de produção, o Shopping D desenvolve outras ações direcionadas à redução de consumo de água. Entre elas está o acionamento automático e o controle de vazão nas torneiras e mictórios, refletindo numa economia de 80% no uso da água. Outra iniciativa frequente é a realização, em parceria com a Sabesp, de ações para clientes e lojistas em prol do consumo consciente.

Ainda neste ano, o centro de compras planeja inaugurar sua ETE – Estação de Tratamento de Efluentes. Com tecnologia de ponta, o projeto, orçado em R$ 2 milhões, vai permitir o tratamento de 100% do esgoto, cujo volume será reaproveitado como água de reúso na lavagem de pátios de estacionamento, descargas em vasos sanitários, mictórios e regas de jardim. A implantação do sistema de reúso irá adicionar de 2 mil a 3 mil m³ de água, ampliando ainda mais a independência do empreendimento em relação ao fornecimento convencional.

VOLTAR PARA IMPRENSA